Quando Cantar vem do Coração: uma Abordagem Metodológica

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Isabel de Castro

Resumo

Autores como Rodrigues (1997), Hargreaves (1999), Gordon (2000a), Chapuis (2001), Peery (2002), Castro (2003, 2004), Palheiros (2004), para só referir alguns, são unânimes ao acentuarem o valor da música na vida das pessoas e das crianças em particular, em diferentes aspectos cognitivos e emocionais, quer no seio familiar, quer na escola. Reforçando este sentir, o antropólogo Alan Merrian (1964) refere na sua obra The anthropology of music, there is probably no other human cultural activty which is so all-pervasive and which reaches into, shapes, and often controls so much of human behavior (p. 218) como a música. Pretendo alertar para a importância da música e, em particular, de cantar com e às crianças desde cedo, em diferentes ambientes e contextos. Como refere Perry (2000) ao citar Kuhmerker a aprendizagem de canções facilita a adopção de um vocabulário de começo de leitura e ainda o ritmo e a fraseologia, tanto como as acções e as experiências cinestésicas associadas às canções, ajuda[r] as crianças a associar as palavras a uma variedade mais vasta de experiências linguísticas(p. 482).


Palavras-chave: música, canção, cantar, coração, processos

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Castro, I. de. (2016). Quando Cantar vem do Coração: uma Abordagem Metodológica. EduSer, 4(1). https://doi.org/10.34620/eduser.v4i1.43
Secção
Artigos